Loading

A melhor forma de diminuir os riscos de uma cirurgia plástica é realizar o procedimento em hospital, com um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e seguir todas as suas recomendações no pré-operatório e no pós-operatório.

O desenvolvimento de um hematoma é comum da cirurgia plástica, que ocorre devido ao acúmulo de sangue na região operada, causando inchaço e dor. Além disso, também podem surgir manchas roxas, porque os vasos sanguíneos rompem durante a cirurgia plástica.

Quando se verifica inchaço, pele avermelhada, dor e sensação de flutuação no local da cicatriz, pode-se estar desenvolvendo uma complicação chamada seroma. Para evitar esta complicação é fundamental usar uma faixa, cinta ou curativo compressivo no pós-operatório, repousar e usar um dreno para remover o líquido em excesso. Em alguns casos, pode ser necessário que o cirurgião plástico retire o líquido com uma seringa para facilitar a recuperação.

A abertura dos pontos pode causar deiscência, que é quando ocorre a separação das bordas dos tecidos que foram unidos e, nesses casos o tempo de cicatrização aumenta.

Esta complicação pode surgir quando a pessoa realiza movimentos excessivos no pós-operatório não cumprindo o repouso recomendado pelo cirurgião plástico.

O risco de infecção é mais comum em torno da cicatriz, porém também pode ocorrer uma infecção interna, causando sintomas como inchaço, dor, febre e pus. A infecção que deve ser tratada com o uso de medicamentos indicados pelo cirurgião plástico.

Quando ocorre a formação de trombos ou coágulos é normal sentir inchaço e intensa dor nas pernas, especialmente na panturrilha, além de pele brilhante e arroxeada e, no caso de não ser tratada rapidamente os coágulos podem deslocar-se. Para evitar esta complicação é fundamental tomar remédios anticoagulantes e movimentar os pés e as pernas mesmo enquanto está deitado, de repouso. Um cirurgião plástico experiente é apto para contornar a situação.

O surgimento de cicatrizes grossas, deformadas e queloides pode ocorrer após qualquer cirurgia plástica, mas são mais comuns quanto maior for a cicatriz. Além disso, também pode desenvolver nódulos debaixo da pele que é causada pela formação de um tecido duro no local, que repuxa a pele.

Em alguns casos, podem surgir cicatriz retrátil, que é quando a pele repuxa para dentro e cria um espaço na região operada. As melhores formas de tratar as cicatrizes deformadas são através de sessões de fisioterapia estética ou fazendo um procedimento no consultório do cirurgião plástico para correção da cicatriz.

Para minimizar esses riscos o paciente deve sempre optar por escolher um cirurgião plástico que seja capacitado e de confiança e que realize a cirurgia plástica em um hospital de bom reconhecimento.

Cirurgião Plástico Dr. Fabio Cesconetto | CRM 77757
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 16670

Clínica de Cirurgia Plástica em São Paulo
(11) 94545.4212 | (11) 3253.7831 | (11) 3288.4744
Segunda a Sexta 12 às 21 horas
Alameda Santos, 211 Cj. 1611 | Jardim Paulista | SP
(Paralela Av. Paulista | Próximo Estação de Metrô Brigadeiro)

Shopping Basket