Loading

É importante lembrar que a escolha deve obedecer a harmonia em relação, não só ao tórax da paciente, quanto ao seu físico, como um todo. Grande parte das mulheres possuem mamas com algum grau de assimetria, para a qual pode estar indicado o uso de próteses de tamanhos diferentes para minimizar esse aspecto.

Durante a cirurgia plástica podem ser utilizadas peças pré-moldadas de silicone (medidores) com a finalidade de avaliar o tamanho e forma adequados para cada paciente, de acordo com seus anseios e possibilidades anatômicas de cada caso.

Para o resultado esperado terá grande importância o grau de elasticidade da pele das mamas e o volume da prótese introduzida, já que o equilíbrio entre ambos é variável de caso a caso. Não menos importante é o cuidado tido pela paciente consigo mesma, pois assimetrias podem surgir devido ao deslocamento da prótese de silicone. Por isso, orientamos evitar compressão das mamas, não devendo a paciente deitar-se de lado ou com a barriga para baixo, por exemplo.

A tão temida rejeição ao uso de próteses de silicone nada mais é que uma reação exagerada do próprio corpo ao silicone implantado. O organismo cria uma cápsula ao redor da prótese que passa a apertá-la, o que poderá deixá-la endurecida e deformada. Nos graus mais avançados, essa rejeição pode trazer dor à paciente e modificar o formato da mama e, por conseguinte, ser necessária a troca do implante. Não há limite de data para que isso ocorra, sendo passível de ocorrer mesmo após muitos anos da cirurgia plástica.

Por muito tempo foi divulgado que os implantes deveriam ser trocados a cada 5 anos em média. Isso se deu pela experiência clínica de cirurgiões plásticos que notavam a ruptura durante esse tempo.

Na atualidade, com os novos materiais na fabricação da prótese de silicone, estas se tornaram mais resistentes e não existe um prazo de validade determinado da cirurgia plástica. Mas, recomenda-se que devem ser monitorados com consultas regulares ao cirurgião plástico para um exame adequado. Não sendo detectada nenhuma anormalidade a vida útil do implante é indeterminada e não há necessidade de troca. Mas é aconselhável substituir a cada 10 a 15 anos por uma prótese nova e de tecnologia moderna.

Qualquer avalição do resultado definitivo de uma cirurgia plástica, no que diz respeito à cicatriz, deverá ser feita após um período de 18 meses. A cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos espessa até atingir seu aspecto definitivo.

Certas pacientes, em decorrência do seu tipo de pele, podem apresentar uma tendência a cicatrizes hipertróficas ou formação de quelóide. Dentro do possível, essa tendência pode ser prevista durante a consulta inicial, pelo levantamento de informações da paciente e de suas características familiares. Contudo, há vários recursos clínicos e cirúrgicos que auxiliam a contornar o problema das cicatrizes, quando estas ocorrerem. O importante é não confundir o período de cicatrização com complicação cicatricial.

É preciso entender que cada organismo reage de uma determinada maneira. Nesse sentido, independentemente de a técnica do cirurgião plástico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela, o resultado também dependerá da reação do organismo e dos cuidados pós-operatórios.

Cirurgião Plástico Dr. Fabio Cesconetto | CRM 77757
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica
Registro de Qualificação de Especialista | RQE 16670

Clínica de Cirurgia Plástica em São Paulo
(11) 94545.4212 | (11) 3253.7831 | (11) 3288.4744
Segunda a Sexta 12 às 21 horas
Alameda Santos, 211 Cj. 1611 | Jardim Paulista | SP
(Paralela Av. Paulista | Próximo Estação de Metrô Brigadeiro)
Cirurgia Plástica em São Paulo | Cirurgião Plástico em São Paulo

Gostou desse Post?

Curta | Comente | Compartilhe

Shopping Basket