clinica-de-cirurgia-plastica-em-sao-paulo-dr-fabio-cesconetto-reduçao-de-mama

Cirurgia plástica corrige a assimetria das mamas?

Ligeiras assimetrias corporais são normais, mas há casos em que estas diferenças provocam alterações consideráveis ao equilíbrio do corpo. A assimetria dos seios é uma das mais sérias alterações do esquema corporal juvenil, pode atingir graus tão elevados cuja correção pode exigir a redução de uma das mamas e a colocação de próteses na outra.

A assimetria mamária ocorre quando o tamanho, a forma e o aspecto de uma mama são diferentes uma da outra. O problema pode afetar toda a mama, incluindo a aréola e o mamilo, que poderão se apresentar diferentes um do outro. Geralmente, a assimetria começa a se manifestar durante a puberdade, época de desenvolvimento das mamas.

A maioria das mulheres apresenta algum grau de assimetria mamária, algumas são mais intensas que outras. A explicação para este fato é que as mamas não começam a se desenvolver exatamente ao mesmo tempo e com a mesma velocidade. Pode haver diferença em seus receptores hormonais. Essa diferença faz com que uma se desenvolva antes da outra, tornando-as diferentes, na maioria das mulheres.

Quando falamos em assimetria mamária, temos que considerar as diferentes situações da mama no tórax: uma ou ambas podem se apresentar mais lateralizadas, ou juntas, uma mais baixa que a outra, ou com formato diferente, como uma mais larga que a outra e assim por diante.

É preciso que o cirurgião plástico avalie o corpo com um todo, pois as assimetrias são comuns e podem ser consideradas normais até certo grau. No caso das assimetrias mamárias, múltiplas técnicas cirúrgicas poderão ser aplicadas para equilibrar as diferenças, sejam para a redução da mama maior ou para o aumento da menor. Há técnicas também para remodelagem das duas mamas.

É preciso cautela, é necessário aguardar o tempo da maturidade corporal e, só intervir cirurgicamente, no momento certo, sem o risco de perder o resultado cirúrgico com a continuidade do crescimento mamário.

A assimetria mamária também pode aparecer ou se acentuar após a amamentação, principalmente, se o bebê sugar preferencialmente só uma das mamas. O ideal é a alternância das mamas durante a amamentação. Ainda nesta fase, se houver um episódio de mastite, este poderá desencadear algum tipo de assimetria, em algumas mulheres.

A simetrização cirúrgica das mamas através da cirurgia plástica é realizada a partir de uma avaliação criteriosa de cada caso, considerando o tipo de assimetria e as possibilidades técnicas. É muito importante o entendimento por parte do paciente que a simetrização através de cirurgia plástica não deve ser encarada do ponto de vista milimétrico. O cirurgião plástico precisa levar em consideração outros aspectos como a forma e a relação das mamas com as regiões vizinhas no corpo, pois naturalmente, não somos bilateralmente iguais na nossa própria estrutura óssea e corporal. Ou seja, um lado do corpo não é igual ao outro.

A cirurgia plástica de simetrização das mamas deve ser feita em centro cirúrgico de hospital. Técnicas apropriadas serão indicadas para os diferentes casos e suas necessidades. O pós-operatório segue os mesmos preceitos de todas as cirurgias plásticas de mama.

Clínica de Cirurgia Plástica em São Paulo
Cirurgião Plástico Dr. Fabio Cesconetto | CRM 77757
(11) 94545.4212 | (11) 3253.7831 | (11) 3288.4744
Segunda a Sexta 12 às 21 horas
Alameda Santos, 211 Cj. 1611 | Jardim Paulista | SP
(Paralela Av. Paulista | Próximo Estação de Metrô Brigadeiro)

Tags: No tags

Add a Comment

You must be logged in to post a comment